domingo, 16 de março de 2014

Jennifer Lopez lança clipe recheado de boys magia; vem ver!

A cantora Jennifer Lopez lançou na noite da última quinta-feira o video clipe da canção "I Luh Ya Papi". Para a nossa alegria, o clipe é repletos de modelos maravilhosos. Um mais lindo do que o outro.

A canção fará parte do novo álbum de Jennifer, que ainda não divulgou data de lançamento. O vídeo também conta com a participação do rapper French Montana. A cantora recentemente revelou que se sente muito mais segura aos 44 anos.

Ela aparece com diferentes looks e penteados, mas sinceramente, é tanto boy magia que fica difícil prestar atenção na JLo. Confira:
      

Rumo ao Brasil: participantes espanhóis das olimpíadas velejam nus

Rumo ao Brasil: participantes espanhóis das olimpíadas velejam nus
Os espanhóis Onan Barreiros e Juan Curbe tiraram a roupa para velejar. Tudo começou como uma grande brincadeira. Eles prometeram que se atingissem 1500 seguidores na página do facebook deles, postariam fotos velejando pelados.

Atualmente, a página dos dois, que antes da brincadeira tinha 700 curtidas, ultrapassou o limite de 2000 likes. Os espanhóis não se fizeram de rogados e cumpriram a promessa.


Eles são os atuais campeões espanhóis da Classe 470 e vão participar dos Jogos Olímpicos2016, no Rio de Janeiro. Você vai torcer por eles?

Alemanha faz alteração favorável a homossexuais na lei de adoção


Alemanha faz alteração favorável a homossexuais na lei de adoçãoA Alemanha flexibilizou um pouco mais as lei em favor dos homossexuais. No país é proibido que casais gays adotem, porém, o governo aprovou na última quarta (12) um projeto de lei que permite adotar os filhos do parceiro, sejam adotados ou biológicos. 

A prática já era comum entre casais héteros. Na Alemanha, inclusive, é possível adotar uma criança estando solteiro, mas não há a mesma possibilidade para casais homoafetivos. 

O casamento também continua fora de cogitação para os gays alemães. Por lá, existe, desde 2011, o que eles chamam de "contrato de comunhão de vida". 

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Adolescente gay de 17 anos é morto com pedradas na cabeça em Pernambuco!!!!!

Família diz que garoto era calmo e não tinha envolvimento com drogas e desconfia de homofobia.

Eduardo Sousa tinha 17 anos e era cabeleireiro.
Um adolescente de 17 anos, encontrado morto em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife, na quinta (31), foi enterrado na tarde desta sexta (1º). O sepultamento ocorreu no cemitério do município. O corpo do jovem foi achado sem roupas e com ferimentos na cabeça – pareciam tijoladas ou pedradas segundo o mecânico Emerson do Carmo, uma das primeiras testemunhas a chegar ao local. O crime aconteceu atrás de uma galeria que está sendo construída na Rua Almirante Tamandaré, no centro do município.

A Polícia Civil e o Instituto de Medicina Legal (IML) chegaram rápido ao local, mas foi preciso chamar o tio do rapaz para reconhecer o corpo, uma vez que havia muitos ferimentos. A vítima morava no bairro de Pixete, em São Lourenço, com a família. Os parentes dizem não ter ideia do motivo do crime, mas suspeito de homofobia, já que o adolescente era gay. Segundo as avós e tias, o menino era tranquilo, não tinha envolvimento com drogas e ultimamente não estava trabalhando. Elas também disseram que não se tem notícia de nenhum desafeto dele.

O caso será apurado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O corpo foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML).

NOTICIA QUENTE - Vírus 'primo' do HIV é suprimido em estudos com macacos nos EUA!!!!!

Pesquisadores injetaram anticorpos no sangue de animais. Níveis de SIV nos primatas foram reduzidos significativamente.
Imagem de microscópio eletrônico mostra célula T H9, em azul, infectada com HIV, amarelo.

Injetar partes de anticorpos em um indivíduo com o vírus da Aids poderia ser uma forma de ajudar combater o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) no futuro, apontam dois novos estudos publicados na revista "Nature" de quarta-feira (30).

Cientistas fizeram esse teste em macacos rhesus, que tiveram seus níveis do Vírus da Imunodeficiência Símia (SIV) – "primo" do HIV – reduzidos significativamente. A tática também poderia contribuir para destruir o vírus da Aids em seus "esconderijos" dentro do corpo, algo que os medicamentos atuais ainda não conseguem fazer.

Os anticorpos são proteínas no sangue que se agarram a micro-organismos específicos e os marcam para que sejam eliminados. Pessoas infectadas com o HIV produzem naturalmente anticorpos para combater o vírus, mas eles geralmente são ineficazes. Nessas pesquisas, porém, foram usadas versões de anticorpos raros, com grande potencial de destruição.

Um dos trabalhos – liderado por Dan Barouch, da Faculdade de Medicina da Universidade Harvard e do Centro Médico Beth Israel, em Boston – mostrou um profundo efeito a partir de uma única injeção de anticorpos. Ao todo, 18 macacos foram infectados com o SIV e, após uma semana de tratamento, 13 deles tiveram os níveis do vírus no sangue praticamente indetectáveis pelos testes padrões.



Ads by PlusHD.4Ad Options

Foto: NIAID/APHIV cresce em células imunes humanas, que o vírus infecta e usa para se replicar.
Após os anticorpos terem se esgotado, porém, o vírus voltou. Isso ocorreu em um a três meses depois do tratamento. Apesar disso, em três animais que tinham os níveis mais baixos de SIV antes da terapia, o vírus não reincidiu durante um período de observação de até oito meses.

Segundo Barouch, os macacos não foram "curados", mas o tratamento aparentemente melhorou o sistema imunológico dos bichos o suficiente para manter o vírus sob controle.

Dois outros macacos que tinham os maiores níveis de SIV ao começarem a receber cuidados tiveram a quantidade de vírus reduzida, mas não a ponto de se tornar indetectável.

De acordo com a pesquisa, os níveis de SIV caíram mais rápido nos macacos do que faria o HIV em humanos. Além disso, quando o vírus voltou, ele geralmente não retornou ao patamar pré-tratamento. Barouch também encontrou taxas mais baixas de SIV em células e tecidos após a terapia.

O outro estudo, coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde dos EUA, mostrou resultados animadores em um pequeno grupo de macacos.

Para o pesquisador Steven Deeks – da Universidade da Califórnia, em San Francisco –, que comentou os trabalhos na "Nature", os resultados dos dois estudos são "provocativos" em relação às perspectivas para atacar os esconderijos do HIV.

"Esses estudos levantaram mais perguntas do que responderam. Mas é assim que a ciência avança", disse.

Chileno é condenado à prisão perpétua por morte de jovem gay....

Um tribunal chileno condenou Patricio Ahumada à prisão perpétua pelo assassinato do jovem gay Daniel Zamudio, e a penas de 7 e 15 anos outros três envolvidos no crime. Zamudio, de 24 anos, morreu depois de 24 dias em coma, em março do ano passado, num crime que gerou grande polêmica no país.

"É uma pena exemplar, eles vão apodrecer na cadeia" disse Iván Zamudio, pai da vítima, após a divulgação da sentença.

Os quatro já haviam sido declarados culpados em outubro, depois que a justiça determinou que eles tiveram responsabilidade no brutal ataque sofrido por Zamudio em um parque no centro da capital Santiago, segundo a investigação judicial. Ahumada, que depois de 20 anos poderá pedir benefícios carcerários, foi considerado o líder do grupo que golpeou o jovem até provocar sua morte. A defesa dos condenados tem 10 dias para recorrer da sentença.

Túmulo de jovem vítima de homofobia vira santuário no Chile

O jovem foi encontrado por um guarda na manhã do dia 3 de março de 2012. O segurança declarou que “nunca havia visto uma agressão tão brutal”. Zamudio levou chutes, socos, cortes e queimaduras, teve suásticas desenhadas pelo corpo com cacos de vidro e a perna direita fraturada com uma pedra de oito quilos. A comoção causada pelo crime levou à aprovação de uma lei contra a discriminação, que leva o nome de Zamudio.

UE determina que casais do mesmo sexo de sete países tenham direitos iguais!!!!!!

Decisão é parcial, e só se aplica às nações que têm algum tipo de reconhecimento legal do casamento igualitário.

Uma decisão no Tribunal de Justiça da União Europeia abriu a porta nesta quinta-feira para que lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais de sete países europeus que não permitem casamento igualitário passem a receber os mesmos benefícios trabalhistas de heterossexuais casados. Entre eles, os da católica e conservadora Irlanda. Juris Lavrikovs, porta-voz da Associação Internacional de Gays e Lésbicas, comemorou o avanço:

"A implicação disso é que todos os benefícios num contrato empregatício que são dados aos casados devem ser igualmente dados aos (casais de mesmo sexo) que estão em parceria" disse Lavrikovs.

Mas como ele mesmo lembrou, o avanço é parcial. Casais gays em 10 dos 28 países-membros da UE não terão qualquer benefício. Isso porque a decisão só se aplica aos países que têm algum tipo de reconhecimento legal da união do mesmo sexo. Ficarão de fora casais da Estônia, Letônia, Lituânia, Polônia, Eslováquia, Croácia, Grécia, Malta e Chipre, além da Itália.

Lavrikovs não acha que a decisão do tribunal vá fechar ainda mais as portas aos avanços de direitos gays nos países que resistem. Para ele, não será uma questão trabalhista como esta que impedirá o avanço. Até porque - argumenta - “as implicações financeiras nos países que vão estender benefícios trabalhistas aos casais gays não é grande”.

"Não acho que vá mudar a trajetória do debate, que é puramente político. Para mim, é uma questão de tempo" disse.

Em todos os países da UE há debates para algum tipo de reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo.

"Na Polônia, houve duas propostas no Parlamento que foram derrubadas. Há debates na Estônia, Letônia, Lituânia, Eslováquia. Os gregos foram condenados recentemente pelo Tribunal Europeu de Direitos Humanos porque introduziram uma (legislação) alternativa ao casamento, mas só para heterossexuais. Terão que abrir para casais do mesmo sexo, é só uma questão de tempo" disse.

O avanço foi obtido no julgamento do caso de um francês, Fréderic Hay. Em julho de 2007 - isto é, antes da aprovação do casamento igualitário na França, em maio deste ano- Hay decidiu formalizar sua união no Pacto Civil de Solidariedade (Pacs). O pacto, criado em 1999, dá o status de casal a homossexuais e heterossexuais, mas não os direitos de uma família. Hay pediu ao empregador folga e dinheiro extra - direitos que todos os trabalhadores franceses têm quando se casam. O empregador negou, alegando que ele não era “casado”. Aí começou uma longa batalha judicial. Nesta quinta-feira, o Tribunal de Justiça da UE julgou que Hay foi discriminado.

O que, na prática, criou uma jurisprudência para vários outros casos na Europa. Em 2008, o mesmo Tribunal havia tomado uma decisão similar no caso de um casal gay alemão. Mas Lavrikovs diz que a decisão no caso do francês é ainda mais importante porque o pacto francês é uma forma muito fraca de reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo.

"Com esta decisão, o que o Tribunal está dizendo é: mesmo no caso de uma união civil fraca, como o Pacs na França, os direitos (trabalhistas) são comparáveis aos de um casamento".

Um detalhe parece claro para Lavrikovs: LGBTs poloneses que se casaram na França não poderão reivindicar o benefício empregatício quando voltarem ao país. A legislação europeia não pode obrigar a Polônia a reconhecer um casamento celebrado em outro país da UE.

*Correspondente do O Globo na Europa